sexta-feira, abril 25, 2003


Moro na area mais obscura de um bairro que jah eh obscuro. Hackney Wick, no distrito de Hackney. Ocuparam um Pub logo em frente a minha casa, e todo fim-de-semana rolam festas, das mais loucas. O local lota. As festas comecam na sexta e terminam soh no Domingo a tarde. Quem disse que os Pub's nao abrem depois das 23 horas? Em Hackney tudo eh possivel. Aos domingos rola o famoso Hackney Wick Market, um mercado popular onde se pode comprar dese laranja ateh televisores. E se vc nao tem dinheiro nenhum basta ir mais a tarde, quando as barracas estao sendo desmontadas, muitos comerciantes deixam pra traz mercadorias que nao venderam: roupas, objetos de cozinha, frutas, etc.


Em Dalston Lane, no outro extremo de Hackney, ha uma ocupaçao de 3 conjuntos de lojas. Os moradores transformaram o lugar num centro de convivencia. As quintas rola um cafe (o pessoal prepara um comida, vende cerveja, etc. Rola cursos de ingles. A maioria da galera eh squatter. Espanhois, italianos, poloneses, os mais fudidos e mal pagos. E vamos nos ajudando, quando aparece alguem novo, o pessoal dah uma força - "tem um apartamento vazio na rua tal" ...

terça-feira, abril 01, 2003


Sabado passado estava eu em casa, ouvindo um som, tranquilo, quando a campainha toca. Abri uma porta uma senhora, bem velhinha, entra desesperadamente porta adentro. Nao disse uma palavra. Perguntei se estava tudo bem, ela responde que sim, tudo bem e continua em silencio. Percebi que ela nao estava ou nao era como normalmente esperamos que as pessoas sejam. Decidi mergulhar no mundo dela... "Aceita um cha?" "Nao, obrigada!" (obs: dialogo em ingles, mais ou menos isso...). "Jesus Cristo! Oh meu grande pai! Pai nosso!" E começou a chorar... Eu me aproximei dela, abracei ela. Ela parou de chorar e começou a sorrir. Depois ficou calada por uns 5 minutos. Depois se levantou e disse: "Obrigada!", me deu um beijo no rosto e foi embora...


Penso que tentar entender, nesse caso, significaria deixar de entender tudo. Que assim o seja.